Blog

Um-marido-segundo-o-coração-de-Deus_banner1

Amar com discernimento

quinta-feira, 2 de março de 2017 | 427 acessos | Deixe seu comentário!

Sigmung Freud, o pai da psicanálise, fez uma afirmação nesse sentido: depois de 40 anos de prática, ele ainda precisava entender as mulheres. Você se sente do mesmo modo com relação à sua esposa? Quanto mais tempo vivem juntos, mais misteriosa ela se torna? Talvez, essa seja a razão pela qual a ama tanto, pois não existe um único momento de tédio na casa! Além do seguinte fato: quando você está prestes a começar a desvendá-la, ela muda!

Viver e amar a sua esposa de uma maneira compreensiva é uma ordem proveniente das Escrituras para os esposos (ver 1 Pedro 3.7). Fazemos isso por meio do diálogo, no entanto, como já vimos, esse é um problema significativo para muitos casais. Por quê? Bem, existem muitas razões… Como posso testemunhar!

No momento, listarei somente alguns motivos pelos quais a comunicação é um problema em uma relação conjugal. Tais dificuldades podem ser mútuas. Ambos podemos fracassar ao nos comunicarmos, seja pelas mesmas razões ou por outras quaisquer. Eis aqui algo que aprendi: Eu não sou capaz de solucionar os problemas de comunicação de Elizabeth, mas, com certeza, posso resolver os meus! E talvez, se eu melhorar minha habilidade, ela responderá e se comunicará melhor. Assim, ambos se beneficiarão do meu esforço. Contudo, independentemente das atitudes dela, Deus deseja que euaprenda a compreendê-la e a apoiá-la da melhor maneira.

Desse modo, quais são os obstáculos para a boa comunicação? Eis aqui alguns. Sinta-se à vontade para acrescentar suas próprias dificuldades!

  • Falta de tempo

A boa comunicação requer tempo, isso é algo que parece ser muito raro nos dias de hoje. O dia intenso de um casal faz parecer nunca haver tempo suficiente para um diálogo sólido e significativo. Pense, por um instante, nos momentos quando você e sua esposa passam só os dois. Tome como exemplo o dia de ontem. Acrescente os minutos (não as horas) nos quais passaram juntos. Foram cerca de cinco minutos pela manhã e quinze minutos à noite? Se for esse o caso, ou se chegar próximo a isso, não é muito tempo. Logo, não é de se admirar que sejam dois estranhos vivendo sob o mesmo teto. Tenho esperança de que passem mais tempo juntos.

  • Falta de consideração

Vamos admitir: nós somos egoístas. Desejamos algo e deve ser no momentoem que queremos! Nossa natureza pecaminosa tornou-nos egocêntricos. Portanto, de modo geral, não estamos interessados na rotina de nossa esposa, em seus problemas, em suas questões com as crianças ou em seus aborrecimentos no trabalho. Nós tivemos um dia difícil! Nós merecemos ser mimados e cuidados. Nós estamos interessados em voltar para casa, comer uma bela refeição, relaxar e assistir um pouco de televisão. Não importa se ela também teve uma jornada de oito a dez horas no dia, além de voltar para casa a fim de fazer o esperado da esposa e mulher ideal descrita em Provérbios 31, isto é, realizar as tarefas de maneira virtuosa. Um marido mais atencioso e amoroso pensaria em sua amada (ver Filipenses 2.3,4) e perguntaria (isso significa comunicar-se!) como poderia ajudá–la a encerrar seu dia de modo mais fácil.

  • Falta de desejo

Aqui está a maneira como funciona comigo: se quero ir pescar ou ir caminhar, encontro tempo. Você e eu realizamos aquilo que temos vontade. Se algo é importante para nós e o desejamos o bastante, fazemos o necessário para realizá-lo Acredito que você já entende a importância da comunicação do casal. Até esse momento, em seu casamento, se você foi como a maioria dos homens, logo, não se empenhou muito para melhorar o diálogo com sua esposa, pois não compreendia o quanto era importante.

Caso seja um executivo, concordará com a vital importância da comunicação no mundo dos negócios. Quando eu era vendedor, tinha de ser capaz de divulgar a superioridade dos produtos da minha empresa. Como professor da Bíblia, tenho de transmitir, com precisão, as verdades da Palavra de Deus. Saber comunicar–se também é importante para sua carreira. Seja vendedor, executivo, engenheiro, ou tenha qualquer outra profissão, não há como ser bem-sucedido sem ter habilidade de se relacionar. Então, por que não utilizar essa mesma motivação e impulso, os quais o tornam um profissional bem-sucedido em seu trabalho, e aplicá-los na comunicação com sua mulher? As recompensas serão bem maiores do que o possível sucesso a ser obtido em sua carreira. Além do mais, estará cumprindo o mandamento do Senhor de viver com sua esposa com discernimento.

  • Falta de denominador comum

Isso significa a falta de interesses em comum. Imagine o cenário: em determinado momento, você foi atraído por uma jovem. Quando passou a conhecê-la um pouco mais, os dois descobrem compartilhar certos interesses, talvez, música, passatempos, livros e, quem sabe, o Senhor. Vocês se casam e depois, coisas como trabalho, filhos e atividades começam a se entrepor no caminho entre você e a pessoa com quem tinha todas aquelas coisas em comum. Agora, anos mais tarde, em seu casamento, você e sua esposa seguem em direções contrárias. São completos estranhos. Se nada for feito para remediar tal situação, ambos não terão nada a dizer um para o outro pelos próximos 20 anos!

  • Falta de energia

Quando está cansado, é fácil dar desculpas. E, com certeza, é mais cômodo não fazer nada do que realizar algo! O homem chega a casa, desaba sobre o sofá e quer relaxar. Indevidamente, justifica sua falta de vontade de se comunicar pensando: como estou fatigado e falei o dia inteiro no trabalho, eu mereço descansar. Conversarei um pouco com minha mulher e meus filhos, cumprindo as minhas obrigações como marido e pai. Tal raciocínio funcionaria em seu trabalho? Novamente, sua escolha demonstra quais coisas são importantes. A comunicação importa, mas requer esforço. Se fechar um negócio com um cliente implicasse em usar toda a sua força, você faria o necessário. Uma vez mais: o que ou quem, além de sua amada, seria mais essencial aos olhos seus e aos do Pai?

* Trecho do livro Um marido segundo o coração de Deus, de Jim George

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (0) (média: 0,00 de 5)
Loading...Loading...

Deixe seu Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

Receba as novidades da Graça Editorial diretamente no seu e-mail.

Você poderá participar de sorteios de brindes e vales descontos.

Nome completo
E-mail *
×