Lançamentos

Contaminados pela Babilônia

“Eu acredito que a Babilônia é um conjunto de crenças fundamentado na seguinte premissa: ‘Nós não precisamos de Deus’. A Babilônia representa o esforço desesperado da humanidade caída, a fim de estabelecer seu próprio sistema universal de valores e o reino do homem independente de Deus, que busca felicidade e significado sem o envolvimento com o Senhor. Ele está determinado a alcançar seus objetivos e a desenvolver seu futuro sem a liderança do Pai celestial. Os seus cidadãos não são ateus radicais, mas, sim, pessoas comuns, cujo estilo de vida reflete a independência com relação ao Deus da Bíblia. Ironicamente, de acordo com uma pesquisa recente, 92% dos entrevistados disseram acreditar em Deus. O problema, então, não está na crença, e sim no fato de vivermos como se não precisássemos dEle! O mundanismo, portanto, é a gratificação e a exaltação de si mesmo em detrimento do Senhor. É rejeitar o Seu governo, que é substituído pelo governo do próprio homem (como se fosse a criação de uma Bíblia própria). As opiniões humanas são exaltadas acima da verdade do Criador. O mundanismo coloca nossos desejos pecaminosos pelas coisas deste mundo caído acima dos mandamentos e das promessas de Deus. É inquestionável que o Senhor continue advertindo Seu povo a se separar dos valores mundanos. A mensagem permanece praticamente intacta, independentemente do vaso que a compartilha: E ouvi outra voz do céu, que dizia: Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados e para que não incorras nas suas pragas. Porque já os seus pecados se acumularam até ao céu, e Deus se lembrou das iniquidades dela (Ap 18.4,5). Eu o convido a buscar uma vida rica em Deus. Enquanto você e eu estivermos Contaminados pela Babilônia, nunca conheceremos os tesouros do Céu”.

Contaminados pela Babilônia

Como você pode conhecer a vontade de Deus

Deus nos ilumina e guia por meio do nosso espírito. Nós, contudo, buscamos orientação em muitos meios, exceto por intermédio do Pai. Usamos os nossos sentidos, embora Ele não tenha dito que nos guiaria por meio deles. Também, procuramos usar a nossa perspectiva intelectual, mas a Palavra de Deus diz: Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade. Somos seres espirituais – apesar de termos uma alma e vivermos em um corpo, fomos feitos à semelhança do Criador, cujo próprio Filho afirmou que Deus é Espírito. Existe um homem exterior, não o representando de fato, mas sendo apenas uma “casa” (corpo) onde ele vive – e um interior onde reside o verdadeiro “eu”. Nós não recebemos um corpo novo quando renascemos, porém o nosso “eu” verdadeiro foi renovado em Cristo. As coisas espirituais são incompreensíveis aos olhos humanos, portanto, quanto mais conscientes do espírito nos tornamos, mais real a liderança do Senhor será para nós. Renovando a mente O homem espiritual – o homem interior, o verdadeiro “eu” – recebe a vida eterna e, com isso, se torna uma nova criatura. Porém, ele ainda precisa lidar com a razão e as emoções que compõem a alma, os quais não são nascidos de novo, mas podem ser renovados. Renovar o intelecto é um processo. Em Cristo, o homem interior se faz nova criatura e deve dominar o homem exterior. Muitas pessoas têm um conceito errado acerca da alma e do espírito, porque não compreenderam o novo nascimento. Por meio dele, nós nos tornamos uma nova criatura em Cristo. O homem interior tem uma voz que chamamos de consciência, intuição ou testemunha interior. O seu espírito pode ser instruído, tal como a mente, além de fortalecido e treinado como o corpo. O Espírito do Senhor não habita no intelecto do homem, mas, sim, no seu espírito. O sentimento é a voz do corpo. A razão é a voz da alma ou da mente. A consciência é a voz do espírito. Se formos guiados pelos sentimentos, teremos problemas! Ficamos tão cansados física e mentalmente, a ponto de não conseguirmos distinguir o que é espiritual. Se treinássemos o nosso espírito, saberíamos quando responder “sim” ou “não ” a cada situação, mesmo para as mais insignificantes. O nosso espírito, que deveria nos guiar, tem sido mantido preso, por assim dizer, sem permissão para se manifestar. Leia este livro com o coração sedento e fortaleça o seu espírito. Assim, você entenderá como podemos conhecer a vontade de Deus.

Como você pode conhecer a vontade de Deus

Blog da Graça Editorial